Existem vários procedimentos cirúrgicos para corrigir imperfeições e gordura localizada no abdômen. Tudo depende do tipo de correção e do excesso de gordura e de pele na região da barriga.

Entre as opções de cirurgia plástica está a miniabdominoplastia. Hoje, a Motiva conta para você no que ela difere da abdominoplastia, como e em quais casos ela funciona. Confira!

Leia mais

O crescimento do uso das redes sociais teve um aumento direto no número da procura por cirurgias plásticas e procedimentos estéticos no Brasil.

Segundo informações da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), estima-se que, entre 2016 e 2018, o número de procedimentos cresceu em 18,3%. Em números, significa que foram realizadas mais de 1,7 milhão de cirurgias plásticas no país, dentro deste período.

Leia mais

Em dezembro de 2018, a ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária – suspendeu a comercialização de 4 modelos de próteses mamárias de uma mesma marca, seguindo os passos da Agência Francesa de Segurança de Medicamentos e Produtos para a Saúde (ANSM), o equivalente francês da ANVISA. Esse procedimento também foi seguido por outros países da Europa.

Leia mais

Com tempo, é possível que as pacientes com próteses de silicone nas mamas e glúteos se sintam desconfortáveis com os resultados da cirurgia, quando não são tomados os cuidados cabíveis ao longo dos anos.

O fato é que cirurgias plásticas auxiliam a autoestima e ajudam a modelar o corpo, porém não são procedimentos milagrosos, cabendo também à paciente os cuidados de manutenção da prótese.

Hoje, a Motiva compartilha com você alguns cuidados para manter o implante de silicone nas mamas e também nos glúteos!

Leia mais

O uso de brincos pesados por muito tempo, ou uso de alargadores de orelha, ou ainda traumas na orelha (acidentes com objetos cortantes, puxar os brincos com força ao retirá-los) são os principais fatores que podem deixar a orelha rasgada. Porém, isso pode ser corrigido com a lobuloplastia – a cirurgia plástica que remodela as orelhas.

Entenda como ela funciona e para quem é indicada na nossa postagem de hoje!

Leia mais

A otoplastia, também conhecida como “plástica nas orelhas”, é uma cirurgia feita para corrigir deformidades das orelhas. Ela pode ser uma cirurgia reconstrutiva, como no caso de traumas e acidentes que deformem uma parte ou toda a orelha, ou no caso de defeitos de nascimento da orelha (como forma alterada ou partes ausentes da orelha). Mais frequentemente, a otoplastia é feita para melhorar o aspecto estético de orelhas muito abertas, comumente conhecidas por orelhas de abano, que é a cirurgia de que falaremos hoje.

A otoplastia é uma cirurgia que pode ser feita tanto em adultos, quanto em crianças. A partir dos 7 anos de idade, a orelha já praticamente atingiu o tamanho que ela terá na fase adulta, o que torna a perspectiva de resultado duradouro mais segura. Naturalmente, o consentimento dos pais ou responsáveis pela criança é indispensável para a realização da cirurgia. Vamos detalhar abaixo como funciona a cirurgia, seus riscos e benefícios.

Leia mais

Com o tempo, é natural que apareçam linhas de expressão no rosto e marcas de envelhecimento em partes visíveis como o pescoço. Porém, estas marcas, muitas vezes incômodas, podem ser amenizadas com procedimentos estéticos rápidos e simples como o microbotox.

Conforme informações publicadas na SBCP, um estudo realizado por pesquisadores de Beirute (Líbano) com 30 mulheres aponta que 25 delas que foram tratadas com a técnica apresentaram melhora significativa na aparência do pescoço, tendo adquirido um aspecto mais firme da pele do pescoço e suavizando as bandas platismais – aquelas regiões do pescoço que se apresentam como grandes cordões que repuxam a pele, aparecendo principalmente em pessoas mais velhas, e que podem ser visíveis apenas na contração dos músculos do pescoço ou também no pescoço relaxado. Estima-se ainda, que 100% destas pacientes estavam satisfeitas com o procedimento.

A técnica feita por microaplicações de botox é capaz de amenizar o aparecimento de rugas, sem prejudicar a contração dos músculos da face. Quer saber mais? A Motiva explica como funciona a técnica de microbotox e seus benefícios! Confira!

Leia mais

Existem várias formas de modelar os glúteos e deixá-los mais harmoniosos com o corpo. Mas a falta da informação correta, ou até mesmo notícias de óbito por complicações de utilização incorreta de materiais, podem fazer com que muitas mulheres tenham dúvidas e se sintam inseguras em procurar um procedimento para os glúteos.

Pensando nestas questões a Motiva preparou um artigo especial para você explicando os 3 tipos de procedimentos mais utilizados aumentar os glúteos, quais os riscos e qual a indicação adequada de cada um deles. Confira!

Leia mais

No dia 20 de dezembro de 2018, foi publicada na edição do Diário Oficial da União, a Lei nº 13.770, que dá o direito à cirurgia plástica reconstrutiva, em casos de mutilação, para mulheres com câncer de mama. Por mutilação, entende-se um defeito na mama operada que necessite de reconstrução cirúrgica, como retirada dos mamilos e/ou aréolas, ou retirada de partes da mama que a deformem e que, portanto, necessite de cirurgia plástica.

Conforme a lei que entra em vigor em junho de 2019, os procedimentos de reconstrução do complexo aréolo-mamilar (nome técnico dado ao conjunto formado pelo mamilo e aréola de cada mama), assim como procedimentos de simetrização das mamas (cirurgias para tornar a mama sem câncer mais semelhante à mama reconstruída devido à cirurgia de retirada do câncer) passam a ser parte integrante da cirurgia plástica reconstrutiva.

A lei também prevê que, quando a paciente tiver condições de saúde adequadas, a cirurgia de reconstrução mamária deve ter início imediato após a cirurgia de retirada do câncer, ou seja, no mesmo ato cirúrgico. Na impossibilidade de realizar a cirurgia plástica reconstrutiva imediatamente, fica garantido o acompanhamento para a realização do procedimento, até que a paciente esteja dentro das condições clínicas necessárias.

Leia mais

As indesejadas estrias são um problema para muitas mulheres. Elas ocorrem devido a um estiramento da pele excessivo em determinadas partes do corpo, como seios, coxas, área do quadril e bumbum – sendo algumas das partes mais comuns para o aparecimento delas.

Leia mais