A celulite pode ter vários graus, sendo eles variáveis e dependentes de vários fatores que nem sempre se relacionam. É o caso, por exemplo, da celulite comum, que pode ser ocasionada por emagrecimento, estresse, biotipos e, segundo dados da Sociedade Brasileira de Dermatologia – SBD, afeta cerca de 95% das mulheres, mas não gera problemas à saúde.

Mas há outros tipos de celulite, como a infecciosa, causada por bactérias que podem gerar graves problemas, quando não é tratada da forma correta. Hoje, traremos a você as principais características da celulite comum e celulite infecciosa e qual o tratamento adequado para cada uma delas, confira!

Celulite comum

A celulite comum é o nome dado à lipodistrofia ginóide (LDG), que consiste em ondulações que ficam visíveis no corpo devido ao acúmulo de gordura em determinada parte dele. Ela afeta as mulheres principalmente na fase reprodutiva, ou seja, entre a primeira menstruação e a menopausa (entre 15 e 45 anos, em média). Como dito acima, cerca de 95% das mulheres apresentarão algum grau de celulite nesse período da vida.

As causas da celulite ainda não são totalmente compreendidas, com os estudos científicos apontando as alterações hormonais da fase reprodutiva como principais responsáveis pelo seu surgimento.

Acredita-se que a ação dos hormônios na gordura embaixo da pele cause um crescimento irregular da gordura, formando áreas de maior e menor proliferação desse tecido embaixo da pele, juntamente com as diferenças de drenagem linfática entre as áreas de gordura, levando a regiões mais e menos inchadas de líquido. Isso tudo faz com que haja diferenças na espessura do tecido gorduroso, levando ao relevo característico da celulite – as ondulações e furinhos visíveis na pele que caracterizam o quadro. Existe um componente de predisposição genética para a celulite, ou seja, mulheres que tenham parentes próximas (mães, avós, irmãs) com celulite tem maiores chances de desenvolver o quadro.

A celulite não é considerada uma doença, sendo uma preocupação maior para as mulheres do ponto de vista estético. Ela afeta todas as etnias, embora a predisposição ainda seja maior entre mulheres de pele branca. Homens podem, eventualmente, ser afetados, embora isso seja menos comum. A gravidade da celulite também varia de acordo com:

– Número e profundidade de ondulações;
– Número de áreas do corpo afetadas;
– Nível de flacidez da pele;

Não existe um tratamento altamente eficaz e duradouro para a celulite até o momento. Há alternativas que podem auxiliar a diminuir o aspecto inestético das ondulações, como drenagem linfática, radiofrequência e subcisão, esta última um tratamento cirúrgico que consiste em soltar as áreas mais profundas da celulite com agulhas, podendo ser associado a enxerto de gordura para aplainar as depressões na pele. Porém, o mais importante para controlar a celulite é manter um estilo de vida saudável, que inclui: boa alimentação e ingestão de água; prática de atividades físicas, e menos consumo de cigarro e bebidas alcóolicas.

Celulite infecciosa

A celulite infecciosa – também chamada de bacteriana – é uma doença com quadro totalmente diferente da celulite comum. Ela ocorre devido à presença de bactérias tipo Staphylococcus ou Streptococcus, que entram na pele e atingem a gordura embaixo da pele (chamada tecnicamente de tecido celular subcutâneo, daí o nome celulite), causando vermelhidões e inchaços na região afetada.

Sua ocorrência não é comum e acontece com maior frequência em pessoas que tenham tido algum ferimento na pele (seja por acidente, doenças de pele que causem feridas, picadas de animais ou por uma cirurgia, por exemplo), principalmente indivíduos que apresentam saúde mais frágil, como idosos e diabéticos. Os principais sintomas da celulite infecciosa são:

– Febre alta;
– Regiões avermelhadas no corpo;
– Dores e queimações na região avermelhada;
– Inchaço e pus na pele de determinada parte do corpo.

Caso exista algum desses sintomas, recomenda-se ir com urgência ao pronto-socorro mais próximo para avaliação e diagnóstico pois, quando não tratada, a celulite pode se espalhar e gerar uma infecção generalizada que pode levar, inclusive, à morte. Uma vez diagnosticada a celulite, a pessoa precisará tomar antibióticos por vários dias para tratar o problema, geralmente necessitando de internação hospitalar para receber antibióticos na veia nos primeiros dias, até que se tenha certeza de que a fase mais grave da infecção já tenha passado, quando a paciente poderá receber alta e continuar o tratamento em casa com antibióticos por via oral.

A celulite bacteriana também pode ser confundida com outras doenças de pele, como a erisipela, porém somente um profissional é capaz de diagnosticá-las. Portanto, procurar ajuda médica rapidamente é sempre fundamental.

Alertas

Como vimos, a celulite comum e a celulite infecciosa são tipos de problemas diferentes: a primeira pode ser tratada através de procedimentos estéticos, e a outra necessita de um acompanhamento mais cauteloso de um dermatologista e/ou outros profissionais de saúde, especialmente se a paciente apresentar doenças que possam agravar o quadro, como diabetes.

Você gostou deste artigo? Então, acompanhe a Motiva nas redes sociais e fique por dentro das novidades de cirurgia plástica!

Fontes: SBD/ Minha Vida/ Tua Saúde

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta